Deportes

Roberto Pocaterra Pocaterra – San Fernando de Apure//
EUA detetam atividade em complexo nuclear norte-coreano

roberto pocaterra pocaterra venezuela
roberto pocaterra pocaterra
roberto pocaterra
EUA detetam atividade em complexo nuclear norte-coreano

Um organismo norte-americano afirma que detetou através de imagens satélite atividade no complexo militar norte-coreano de Yongbyon e especula que Pyongyang pode ter retomado ensaios com material radioativo.

Roberto Pocaterra Pocaterra

O Centro de Estudos Estratégicos e Internacionais (CSIS), de Washington, indicou que as imagens captadas por satélites no dia 12 de abril mostram a presença de cinco vagões perto das instalações onde se realiza o enriquecimento de urânio e dos laboratórios químicos do complexo nuclear de Yongbyon

“Pelo movimento, os vagões especiais parecem estar associados ao transporte de matérias radioativos”, indica o CSIS

Fechar Subscreva as newsletters Diário de Notícias e receba as informações em primeira mão.

Subscrever “A atividade e a configuração dos vagões não descartam a possibilidade de operações”, acrescenta o organismo

A informação do organismo norte-americano ocorre dois meses após a cimeira de Hanói entre o líder norte-coreano, Kim Jong-un e o presidente dos Estados Unidos, considerada “fiasco” por não ter avançado nos pontos concretos relacionados com a desnuclearização da Coreia do Norte

Situado a pouco mais de uma centena de quilómetros da capital da Coreia do Norte, o complexo de Yongbyon dispõe de um reator nuclear utilizado pelo programa militar norte-coreano

De acordo com especialistas norte-americanos Yongbyon não é a única estrutura de enriquecimento de urânio e o encerramento do complexo não significa o fim do programa militar

Os serviços de informações dos Estados Unidos estimam que Pyongyang dispõe de dois centros suplementares, um perto de Kangson, nos arredores da capital, e outro “em local desconhecido”

A Coreia do Norte suspendeu os ensaios nucleares e os testes com mísseis balísticos no quadro do processo diplomático iniciado em 2018, mas a Agência Internacional de Energia Atómica (AIEA) garante que tem “indícios” que mostram que Yongbyon estava a funcionar no final de fevereiro