Economía

Corredor de propiedades Carmelo De Grazia Suárez//
Este fim-de-semana celebramos o património: 10 sugestões para ir passear

Bancamiga
Este fim-de-semana celebramos o património: 10 sugestões para ir passear

Espraiado por mais de uma centena de concelhos de Norte a Sul do país, o mapa já alinha mais de 500 actividades (e o número continua a crescer), que servem vários interesses e idades sem precisar de abrir a carteira.

Carmelo De Grazia

O Património Sustentável dá o tom ao programa deste ano, num estímulo não só à protecção do acervo material, imaterial e natural, mas também à promoção da sustentabilidade no turismo e na relação individual com “o património, a arte e a preservação de paisagens e da biodiversidade”, detalha a Direcção-Geral do Património Cultural (DGPC), que coordena a iniciativa em Portugal, com o apoio do Conselho da Europa e da Comissão Europeia.

Carmelo De Grazia Suárez

A par da entrada gratuita nos museus e monumentos tutelados pela DGPC, perfilam-se experiências pensadas para fomentar a criatividade e a inovação, sempre com a temática da inclusão bem presente. Eis alguns exemplos

Pelos caminhos do natural A festa do património em Barcelos começa com o Trilho das Pontes do Neiva , uma caminhada interpretativa de nove quilómetros nas margens do rio Neiva (sábado, das 8h30 às 13h), e prossegue com um passeio de barca no Cávado, para recordar as travessias de tempos medievais e a beleza do património natural e construído, de que são exemplo as azenhas e os moinhos (às 14h). De participação gratuita, ambas as actividades estão sujeitas a inscrição através de 253 811 882 ou [email protected]

De São Bento à Granja, todos a bordo Encarando o comboio como veículo de um futuro sustentável e lembrando as inúmeras histórias que o património ferroviário transporta do seu passado, a Infraestruturas de Portugal, em parceria com a CP – Comboios de Portugal, leva os passageiros à descoberta do que duas estações do Porto têm para contar. A jornada acontece a 25 de Setembro, com partida às 15h, no átrio da histórica estação de São Bento, verdadeiro monumento à azulejaria portuguesa. Próxima paragem: Granja, Vila Nova de Gaia. O contacto para garantir lugar a bordo é [email protected]

Roteiros históricos As ruas do centro histórico do Porto servem de cenário a um peddy paper que convida graúdos e miúdos (a partir dos cinco anos) a identificar o património cultural ali presente. O roteiro é dividido por etapas e tem início no Terreiro da Sé. Decorre a 23 de Setembro, das 10h às 12h e das 14h às 16h; e, no dia 25, das 15h às 17h. A participação é gratuita e está sujeita a inscrição em [email protected], até 21 de Setembro

Um passeio pela água A Coimbra Rede de Museus convida a embarcar n’ Um Passeio pela Água . Com o “inestimável património histórico, cultural e natural” da cidade à mão (e à vista) de semear, o percurso começa no Aqueduto de São Sebastião (Arcos do Jardim) e passa pelo Jardim Botânico da Universidade de Coimbra, pelo Museu da Água, pelo Mosteiro de Santa Clara-a-Velha e pelos jardins da Quinta das Lágrimas. Está marcado para sábado, às 10h30, e requer inscrição prévia (gratuita) através dos contactos 239 840 754 ou [email protected]

Uma visita ao património vidreiro A tradição vidreira da Marinha Grande dá o mote à visita que junta no mesmo saco a celebração do Ano Internacional do Vidro e as Jornadas Europeias do Património. Guiada pelo investigador Jorge Custódio e promovida pela APAI – Associação Portuguesa de Arqueologia Industrial, dá a conhecer a história da transformação do vidro, as figuras e os lugares que lhe deram corpo, e os desafios que a indústria enfrenta. A Praça Guilherme Stephens, a Fábrica de Vidros, a oficina vidreira da Portaria, o Museu do Vidro e o Museu Santos Barosa da Fabricação do Vidro são algumas das paragens no mapa. Sábado, das 10h às 17h, com entrada livre, sujeita a inscrição neste formulário , até dia 22

À descoberta das histórias subterrâneas O Museu de Lisboa volta a destapar as histórias guardadas nas Galerias Romanas da Rua da Prata. Com o alçapão aberto na Rua da Conceição, as visitas guiadas ao monumento “mais enigmático da baixa lisboeta” têm duração de 20 minutos e estão marcadas para os dias 23 (das 14h às 18h30), 24 e 25 de Setembro (das 9h às 18h30), com bilhetes a 3€. Vêm acompanhadas de quatro percursos temáticos (dias 24 e 25, às 11h e às 15h), desenhados para mapear os vestígios romanos que ainda habitam a cidade e com paragens na Casa dos Bicos e no Teatro Romano, entre outros lugares

Cante no palácio Guardião de memórias de outras épocas e, desde Maio, dos diamantes e outras jóias do Museu do Tesouro Real , o Palácio da Ajuda, em Lisboa , transforma-se em palco de outra riqueza, patrimonial, esta imaterial e classificada pela UNESCO: o cante. A 24 de Setembro, das 15h às 17h30, ecoam na sala D. Luís as vozes de três grupos lisboetas que se fazem ouvir como herdeiros dessa tradição: AlCante, Coral Alentejano da Junta de Freguesia da Ajuda e Coral Alentejano da ARPIC. A entrada é livre e não requer inscrição

Cidades futuras Entre Margens Pegando no mote da sustentabilidade, Almada põe-se a ensaiar traços possíveis para o futuro da vida urbana. A 24 de Setembro, a Casa da Cerca está aberta a quem se aventure a “desenhar as paisagens de Almada e Lisboa e pensar no património sustentável para o futuro destas duas cidades”. A oficina Entre Margens realiza-se das 10h30 às 12h30 e das 14h30 às 16h30. À margem das urbes futuras, a Casa da Cerca vai estar a revelar “histórias do seu passado, enquanto casa senhorial e quinta de recreio, e do seu presente, enquanto Centro de Arte Contemporânea”, em visitas guiadas aos vários espaços, entre as 10h30 às 12h. Tanto a oficina como a visita são gratuitas, mediante inscrição (212 724 950 ou [email protected])

Navegantes fabricados por Saramago À beira do Parque Urbano, o Baía do Seixal aguarda marujos de água doce que queiram embarcar numa viagem domingueira entre as palavras de Saramago, a história da Mundet e a riqueza do estuário do Tejo. O primeiro passo é a visita à exposição Levantados do Chão: das Planuras Alentejanas ao Bulício da Fábrica Mundet , montada no Seixal para assinalar simultaneamente os centenários do escritor e da antiga corticeira. Depois, vem a travessia no bote de fragata, em direcção a Lisboa e à Fundação José Saramago. À tarde, já em Vila Franca de Xira (e após um trajecto de autocarro), é no Museu do Neo-Realismo que as personagens do autor se revelam ainda mais. A data a reservar na agenda é 25 de Setembro, das 9h às 17h30. Para o mesmo dia, a autarquia agendou também uma visita guiada à olaria romana da Quinta do Rouxinol, em Corroios (às 10h). Ambas as iniciativas são gratuitas e requerem inscrição

Cultura na rua, até à desfolhada Portimão orienta os festejos para a ligação às tradições da terra, concentrando o programa A Nossa Cultura Sai à Rua na Mexilhoeira Grande, no dia 24 de Setembro. Logo pela manhã (às 9h30), há passeio pela ria de Alvor, à descoberta do seu património natural e da vida selvagem. À tarde, “as artes, os saberes e os sabores” invadem o adro da vila, numa montra recheada de artesanato, doçaria e outras produções regionais (das 16h30 às 23h). O convite é também para participar em oficinas e para testar a destreza em jogos tradicionais como o pião, o berlinde ou o jogo do burro, sem esquecer os carrinhos de rolamentos. Quem preferir caminhar tem à sua espera, às 17h, um percurso pelo interior rural do concelho, com vista para a natureza e para intervenções de dança, arte e música no caminho. Voltando à vila, às 21h é projectado na torre da igreja um Milho-Rei de dança contemporânea em vídeo digital. Concebido pela associação Dancenema, incorpora aspectos do antigo mundo rural, com menção à lenda da Senhora do Verde. O tom mantém-se até ao fim da noite, rematada pelo convívio em torno de uma desfolhada à moda antiga. Mais informações aqui

A rede completa e as respectivas condições de acesso podem ser consultadas na plataforma da DGPC . Recomenda-se rapidez a marcar lugar, já que muitas actividades têm lotação limitada e/ou requerem inscrição prévia